5 celulares Nokia que de tão estranho ninguém queria comprar

Amada e idolatrada por quase todo consumidor de longa data, a reputação da Nokia foi construída por uma série de lançamentos bem sucedidos que por muitas vezes marcaram época. Dona dos dispositivos “quase indestrutíveis” e sinônimo de pura qualidade para alguns, goza de um portfólio invejável, ainda que possuam certas manchas no meio do tapete vermelho.

Ainda que alguns apontem a adesão do Windows Phone sobre o Android um erro, a companhia possui um histórico obscuro que situa-se um pouco antes da disseminação dos dispositivos inteligentes. Conheça agora alguns dos piores aparelhos apresentados pela marca.

1- Nokia 7600

Glorificada por seus dispositivos robustos, no ano de 2003 a filandesa vinha com uma série de lançamentos munidos de excelentíssima construção, ainda que não oferecessem um atrativo visual significativo.

Modelos bem acabados pediam por designs convencionais, e a busca do mercado por novidades acabou impulsionando o errôneo lançamento do Nokia 7600, que na tentativa de inovar passou dos limites. Extremamente compacto, o telefone parecia mais um tamagotchi com excessivos botões que deixavam o consumidores confusos. Por causa disso e do seu formato estranho, muitos pensaram bem antes de comprar.

2- Nokia N-Gage

No mesmo ano, a Nokia resolveu aprofundar-se em uma parte promissora para a tecnologia móvel. O lançamento de um celular voltado para jogos pode soar interessante nos dias de hoje, e talvez desse certo se o modelo ao menos tentasse parecer mais com um celular e não um console portátil. Além disso, o aparelho não era nada prático: para trocar de jogo era preciso desligar o aparelho e remover a sua bateria no processo.

Pagar a mais para só para ter mais jogos no celular não foi nada convidativo para os consumidores que pensavam duas vezes antes de adquirir um desses.

3- Nokia 5510

Não se engane: o N-Gage não foi a primeira tentativa da Nokia para desenvolver um “telefone para jogos”. Mesmo que fosse apenas capaz de rodar jogos como “Snake 2” e similares, o 5510 vinha com um teclado completo e uma disposição favorável a tarefa. Mas se você tem acompanhado esta serie até aqui deve ter se dado conta de que a ideia de lançar um aparelho com perspectiva horizontal não é uma boa ideia não é mesmo?

4- Nokia 7280

O erros do passado nos ensinam a construir um futuro melhor não é mesmo? Não exatamente para a equipe de design da Nokia. Se os modelos de 2003 não foram suficientemente exóticos para você, o Nokia 7280 certamente te surpreenderá.

Mais parecido com um bastão ou até mesmo um batom, o aparelho até gerou curiosidade na época, mas certamente nenhuma opinião positiva. Além da ergonimia inexistente, o seu maior erro era a falta de um teclado alfa-numérico em uma época onde touch screen ainda não era um sonho palpável.

5- Nokia 8800

Com aparelhos que por vezes ultrapassam a casa dos 10 mil reais, você pode até pensar que demonstrar luxo e status através de um dispositivo móvel é um movimento recente. Em 2005, o Nokia 8800 foi apresentado com uma construção de dar inveja, composta por um metal inoxidável e uma tela a prova de riscos, mas não oferecia muito mais que isso. Vendido por incríveis mil dólares, o aparelho não fazia mais que ligações e captura de imagens de baixíssima qualidade.

Quase “incorruptível”

Mesmo mantendo até os dias atuais uma reputação quase que impecável, a gigante da Finlândia foi marcada por certas decisões infelizes. Contudo, é notável que o interesse do consumidor por um novo dispositivo Nokia permanece bastante vivo, sendo um feito que poucas fabricantes conseguiram replicar ao longo dos anos.

Sobre André Portella

Estudante de TI, viciado em música, adorador de tecnologia e games.