Não é a própria Motorola que está lançando a terceira geração do Moto 360; entenda

Logo que surgiram no mercado de dispositivos móveis, os smartwatches eram indicados como aparelhos capazes de substituir e/ou simplificar tarefas desempenhadas essencialmente por smartphones, o que prometia grande relevância para a categoria. Na prática, os vestíveis mostraram ser “complementos” de luxo, capazes de aprimorar a experiência do usuário com a tecnologia móvel, ainda que seus benefícios não fossem mandatórios.

Deste modo, só agora a Motorola decidiu lançar uma nova versão do Moto 360. Na verdade, a Motorola apenas licenciou a tecnologia e a marca para a empresa eBuyNow, que tomou esta liberdade por considerá-lo relevante o suficiente para relança-lo. O novo relógio traz acréscimos importantes para o hardware, ao passo que atualiza o visual para competir com as tendências mais recentes do mercado.

Mantendo o visual arredondado com um display OLED de 1,2 polegadas, o novo Moto 360 mantém a aposta em um display circular e uma construção sem muitas distrações, mantendo o minimalismo idealizado para a linha. Seu conjunto de processamento é composto por um Snapdragon Wear 3100 e 1 GB de memória RAM, prometendo 12 horas de uso moderado capaz de ser recarregado completamente em apenas 60 minutos.

Com armazenamento interno de 8 GB, o aparelho roda o Wear OS de fábrica. Além disso, possui um monitor de batimentos cardíacos, GPS e NFC s dois botões de interação, sendo um deles giratório.

Disponível a partir do dia 12 de novembro, o relógio será vendido por 350 dólares (R$ 1.396 em conversão direta). Felizmente, a companhia manteve a compatibilidade com as pulseiras dos modelos anteriores, lançando também novas opções.

Via.

Sobre André Portella

Estudante de TI, viciado em música, adorador de tecnologia e games.