Android e iOS estagnados: Como estaria o Windows Phone se ainda existisse em 2020?

Caso você conheceu o Windows Phone pelo que ele é hoje, certamente não sabe o que eu quero dizer. Nascido como uma proposta alternativa ao que o mercado oferecia, o Windows Phone 7 era totalmente o oposto a tentativa falha tentativa de assimilação ao convencional conhecida por Windows 10 Mobile.

Dito isso, vemos que está muito difícil encontrar nos dias de hoje um smartphone inovador ou que nos remeta a algo diferente, porém útil. E o que muitos estão comentando é que os smartphones estão realmente estagnados, onde se parece que as tecnologias presentes nesses objetos móveis chegaram ao seu ápice. Isso falando tanto de hardware quanto do software.

Por essas e outras que eu veio sempre comentando o quanto um terceiro sistema operacional de celulares faz falta e, esse seria o Windows Phone, pois hoje estamos limitados a escolher entre o Android, que já não evolui mais, especialmente no software e, o iOS, que além de ser limitado também não se vê evoluções significativas mais.

Eu tomei a liberdade de trazer algumas informações para as pessoas que pensam como eu e comentar sobre alguns conceitos que mostra como seria o Windows Phone nos dias de hoje se a Microsoft não tivesse desistido do sistema. E falando nisso, o que realmente fez a Microsoft desistir do sistema que estava abocanhando uma boa parte do mercado de smartphones em diversos países e até mesmo incomodando o Google e a Apple mesmo com a falta de alguns Apps?

Acreditamos muito que o sistema da Microsoft era bastante promissor e o Google se incomodava tanto que além de impedir a Microsoft de disponibilizar seu App do Youtube desenvolvido por ela mesmo, também não quis liberar sua aplicação oficial para a plataforma. Algo que impedia o sistema de avançar, já que nos últimos anos os aplicativos do Google se tornaram tão essenciais para os usuários. Isso sem falar que mesmo com a falta deles, os usuários se viravam bem com outros Apps não oficiais.

Viajando em um percurso alternativo, o sistema dos “quadradinhos” encantou aos seus usuários com a sua usabilidade única, proporcionada pelas suas inteligentes Live Tiles, que tinham a ambição de evoluir o conceito da tela inicial para um centro interativo de informações, aumentando a produtividade e diminuindo os cliques. O que falar dos hubs e as suas conexões, que chegaram até mesmo a substituir aplicações sociais para muitos usuários. Usar o Windows Phone era como encarar a tecnologia por outros olhos, seja pelas páginas continuas da interface Metro, ou por sua simplicidade objetiva.

O conceito que estamos mostrando traz uma perspectiva de animações interativas, transparências, widgets e remodelação do Centro de Ação do antigo Windows 10 Mobile. São esses os principais aspectos que são exibidos no vídeo e imagens conceitual, que possivelmente veríamos no sistema móvel da Microsoft nos dias atuais. 

O sistema das Live Tiles era de fato diferente dos demais sistemas, isso porque ele tinha uma forma de interagir com o usuário totalmente diferente do Symbian da Nokia, do iOS da Apple ou do Android do Google. Ainda que muitos não tivessem se familiarizado com o sistema em primeira vista, tudo era só questão de tempo até se adaptar com ele. A interface dos quadradinhos estava tão em alta que os celulares que rodavam o sistema chegou a vender mais que iPhones em muitos países, inclusive no Brasil. Dessa forma, parecia só uma questão de tempo para o sistema ultrapassar ou pelo menos chegar perto da quantidade de usuários do Android em todo o mundo. 

Realmente é uma pena que o sistema não exista mais, pois a própria Nokia que era a marca que mais investia no sistema, lançando também diversos dispositivos interessantes continuava a produzir novas tecnologias que estava sendo copiada por diversas marcas. Quem não lembra das fotos em movimento que era exclusivo dos celulares Lumia e depois copiada nos iPhones e posteriormente nos Android’s? Quem não lembra da função de deixar o sistema todo escuro ou todo claro? Quem não lembra dos sensores Zeiss de câmera exclusivos dos Lumias e quem não se lembra das funções do aplicativo de câmera que só se via nos Lumias? Quem não se lembra das tecnologias Nokia como o PureView para fazer fotos a noite? Pois é, a Nokia não brincava em serviço.

E quem não se lembra dos diversos acessórios exclusivos produzidos pela Nokia como Carregadores Wireless, Baterias extras, Cases oficiais, Câmera gripe, caixas de sons e fones de ouvido de ótima qualidade?

Haviam coisas que somente o Windows Phone oferecia para as grandes massas: Fluidez, segurança e suporte. Aposto todas as minhas fichas que a velocidade surpreendente do seu smartphone de entrada te fazia repensar a necessidade de certos apps. Como não olhar e considerar as preciosas aplicações exclusivas oferecidas pela Nokia?

Surpreendentemente completas e úteis, se tornavam uma parte do sistema e demonstrava todo o interesse da marca em agradar seus consumidores. Isso era reforçado a cada update recebido, para aquele pequeno pedaço de hardware, seja ele lançado a um mês ou até dois anos. Quem nunca bateu no peito pra dizer “meu smartphone não pega vírus”?

Sobre Uanderson Conceição

Chief executive officer (CEO) na empresa Meu-Smartphone. Youtuber, adora praticar Downhill Mountain Bike, entusiasta da natureza e acredita soberanamente em Deus.