HoloLens Militar – CEO da Microsoft defende acordo de $479 milhões.

O CEO da Microsoft Satya Nadella defendeu o acordo de US$479 milhões firmado entre a gigante e o Pentágono americano. O contrato visa o fornecimento de tecnologia de realidade aumentada, em outras palavras o HoloLens. Até parece que foi ontem que falamos dele aqui, que terá a Epic Games como parceira neste novo modelo.

A noticia causou represália de alguns funcionários que discordam do mesmo, e protestaram publicamente. No entanto Satya Nadell defendeu em entrevista a CNN que não reterá tecnologia as forças armadas.

Tomamos uma decisão de que não vamos reter a tecnologia de instituições que elegemos nas democracias para proteger as liberdades que desfrutamos – Disse Nadell em entrevista no MWC 2019, em Barcelona.

[caption id="attachment_66299" align="aligncenter" width="810"] Microsoft HoloLens integrado a capacete militar.[/caption]

O contrato feito em Novembro passado diz que a Microsoft fornecerá 100.000 (cem mil) dispositivos às forças armadas americanas. Segundo os exercito israelense, outro cliente do produto, ele ajuda tanto na visualização do campo de batalha como as forças médicas também. Mas nos documentos de aquisição do dispositivo pelo exército dos EUA, o critério usado é para que: se tenha maior letalidade, mobilidade e consciência situacional em combate.

Protesto dos funcionários:

Ao saber do projeto mais de 100 funcionários assinaram e enviaram a Nadella e Brad Smith, atual presidente da empresa e diretor jurídico, uma carta pedindo seu cancelamento. Em cópia divulgada no Twitter eles afirmam que nunca antes contribuíram para o desenvolvimento de armas. Coisa que ao ver deles, acontece neste novo contrato do HoloLens.

Lançado no último domingo, o HoloLens 2 chama atenção por suas melhorias em relação ao primeiro modelo. Mas agora no meio desta polêmica a Microsoft se divide entre os que apoiam e os que não. Muitos itens que usamos em nosso dia nasceram em projetos militares, porém neste caso é o contrário, uma tecnologia de fora interessou a eles. Mesmo com tudo isso, o acordo foi mantido e defendido pela Microsoft como um dever patriótico.
Com isso os filmes de ficção cientifica com super soldados ficam cada vez mais próximos e reais. Não vejo problema com o uso de tecnologia pelos militares, desde que usado da forma certa. E que não caia em mãos erradas!

 

Sobre Igor Bruce

Escreve artigos dedicados à games. Tenta ser bom no jogos, ama assistir séries, filmes e tem o canal "O Show do Bruce" no YouTube.