Como foi a evolução do Windows Phone para a interface Adaptive UX do Windows 10 Mobile

O design Metro marcou o mercado com o lançamento do Windows Phone 7 e esse efeito foi recebido tanto de forma positiva com uma quebra do padrão já conhecido no Android e iOS, e também de forma negativa com a grande divergência com tudo o que já se conhecia, fazendo com que nem todos quisessem explorar o desconhecido. Se no inicio a novidade foi o bastante para trazer diversas pessoas a experimentar o sistema, com o tempo não foi o necessário para mantê-las.

Novos usuários não se sentiam familiarizados com o que viam, já que uma vez que nos sistemas concorrentes eles se deparavam com algo semelhante ao que se via nos desktops, algo que já era bastante familiar para todos, no Windows Phone, a diretriz metro trazia algo semelhante ao que se via no novo menu iniciar do Windows 8, que por ser tão diferente do conceito já bastante explorado, era justamente o maior motivo da baixa adesão ao novo sistema da Microsoft para os computadores.

Windows Phone 7
Windows Phone 8.1

Mesmo com diversos esforços para tornar essa nova ideologia visual atrativa para todos, o Windows Phone chegou a alavancar grandes vendas em alguns mercados, ultrapassando até mesmo os iPhones, porém a partir de 2014 a amarga baixa participação no mercado em todo globo não se via como bons resultados, resultante da grande dificuldade que as pessoas possuem de assimilar novas experiências. Dessa forma, a Microsoft se viu obrigada a alterar isso no Windows 10, e o plano é simples:

Manter a identidade já conhecida por todos os usuários da sua plataforma, porém trazendo detalhes e elementos familiares ao que todos já estão acostumados, de forma a mesclar o conceito metro ao que se deriva dos desktops, consequentemente se assemelhando as demais plataformas do mercado mobile ao mesmo tempo que se aproxima também do que se vê na nova versão de mesmo nome para os computadores. Assim, a empresa de Redmond visava agradar a sua base instalada com uma reformulação do que já gostamos. Assim nasceu a Adaptive UX, alteração que essa evolução da diretriz metro significou para a plataforma.

Tela de Bloqueio

A tela de bloqueio, era uma área pouco explorada, mas que recebeu grandes melhorias e algumas pequenas modificações. O sistema recebeu um polimento das fontes e quadro de inserção do pin transparente, o que mostra um distanciamento do minimalismo em prol de algo mais refinado.

Tela Inicial

Essa era a porta de entrada, e justamente uma das áreas onde se via maiores mudanças. Todos os detalhes foram refinados desde fontes, a traços e ícones, com uma separação menor para um maior aproveitamento da tela. Dessa vez não temos mais um papel de parede dentro das tiles, e sim atrás delas, tomando todo o espaço visível (apesar de que ainda existe a opção de manter da forma antiga). As Tiles possuem um efeito translucido que pode ser configurado pelo usuário, podendo deixa-las totalmente solidas ou completamente invisíveis.

Central de Notificações e Ações

Produtividade é a palavra chave aqui. Com a nova central de ações, podemos expandir o número de atalhos que temos assim, tornando-a muito mais útil. As notificações além de mais organizadas ficaram mais inteligentes também. Agora podemos até mesmo responder a algumas mensagens através delas, tudo sem a necessidade de abrir o app correspondente.

Configurações

Alterações não faltam nessa área. É aqui que notamos que a diretriz metro com suas letras grande e continuadas dão espaço a uma interface mais coesa, com ícones, uma barra de busca, fontes e cores, o que dá espaço a uma visualização mais familiar e simplificada para novos usuários e uma aparência idêntica ao que se vê no Windows 10 para desktops.

Teclado

Aquele que já foi o melhor teclado do mundo mobile se tornou ainda melhor! Com fonte suavizada e novo aproveitamento do espaço o teclado do Windows Phone se tornou mais atrativo, agora acompanhado de um ícone para digitação contextual a partir da voz, novos gestos para alteração da linguagem e acesso a emojis e caracteres especiais. Além disso, a possibilidade de move-lo para qualquer área da tela foi adicionada.

Discador

Seguindo o exemplo das configurações, agora possuíamos ícones e fontes suaves substituindo as letras grandes e continuas e os símbolos circulados, porém sem perder a característica de rolagem que está nas origens da plataforma.

É notável que diferente da ideia de continuação como uma revista que tínhamos nos padrões da interface metro, recebíamos ícones ao topo que podem ser acessados com o movimento Swype característico nos menus da plataforma. Temos um teclado mais coeso e inteligente, que sugere para qual contato você deseja ligar a partir do momento em que você começa a digitar o número.

Aqui vimos muitos avanços, especialmente ao se tornar um discador inteligente e também por pela primeira vez termos a possibilidade de editar um número antes de chama-lo.

Contatos

As fotos dos contatos ficaram todas em formato arredondados e ocuparam bem menos espaço, algo que lembrava bastante o que já vinha sendo feito desde o Windows 8 nos desktops. Com uma maior exploração da cor do tema escolhida pelo usuário, temos uma tela de contato muito mais rica e interativa.

Navegador

A relação de amor e ódio que temos com o Internet Explorer acabou aqui: O Windows 10 traz o Microsoft Edge como navegador nativo, e com isso só temos a ganhar. Com uma interface muito mais coesa, e familiar, temos um navegador mais completo com funções já conhecidas como o modo de leitura, e algumas novas, como a integração com a Cortana e o novo Hub de Leitura.

Explorador de Arquivos

explorador

Naquele tempo, recebemos uma exclusividade na plataforma de forma nativa: um explorador de arquivos que segue o visual totalmente idêntico a versão para computadores.

Aplicativo de Fotos

fotos

O aplicativo de fotos trouxe uma visualização mais organizada e uma maior integração com o Onedrive, Coleção de fotos, criação de Álbuns e até mesmo acesso a pastas do sistema dentro do próprio aplicativo. Não se pode negar que tivemos um do mais intuitivos aplicativo de fotos (galeria) de um SO móvel.

Cortana

cortana

A assistente social mais engraçada da época recebeu diversos polimentos, e com maior interação visual ao sistema. Um menu hamburger agora acomoda as opções do seu Smartphone. Agora com o suporte ao nosso idioma, tudo ficou melhor, ainda que aja algumas arestas que precisavam ser reparadas.

Outlook e-Mail e Outlook Calendario

Antes bastante crú e incompleto, o app de email ganhou uma interface muito mais semelhante ao que se vê no navegador, com a identidade visual seguida pelo Onedrive e já conhecida no mesmo app disponível para outras plataformas. Diversas funções foram adicionadas, e tudo é bem claro através de ícones simplificados e bem colocados, tendo sua navegação também por um menu hamburger.

O app de calendário foi substituído por um app que integra o email, carregando a marca Outlook também. Todo um reconhecimento visual derivado do app para email é notável.

Loja de Aplicativos

A verdade é que nunca tivemos um app digno para a loja. Além de muito feio e desorganizado o app para Windows Phone 8.1 era muito confuso para novos usuários. A nova versão do SO trouxe uma enxurrada de novidades para a loja: ficou mais simples, limpa e organizada, bastante intuitiva e familiar para novos olhares. O menu hamburger aqui deixa a navegação muito mais produtiva.

Conclusão

O sistema adquiriu uma nova roupagem: Novas fontes, ícones, transparências, gestos e menus hamburgers marcam a nova diretriz visual. Até o ano de 2015, a Microsoft estava fazendo sua tarefa de casa até começar os cortes.

O grande problema do sistema não ter sido alavancado era o medo que o Google tinha do Windows Phone ultrapassar em algum dia as vendas de Android. Com a falta de apoio por parte da gigante de buscas, empresa chave para o sistema crescer naquela época, o sistema da Microsoft recebia melhorias internamente, mas que não era nem de longe o suficiente.

Sobre André Portella

Estudante de TI, viciado em música, adorador de tecnologia e games.