Comparativo de Apps 2.0 (Android x Windows Phone): 6# Spotify

Nessa estrada para o futuro o Streaming se faz cada vez mais presente e forte em nossas vidas, ainda que você não se dê conta disto. Se você assisti muitos vídeos no Youtube, Twitch, Netflix ou gosta mesmo de uma sonzera em um bom serviço de música, você sabe que esta tecnologia veio pra ficar. E falando de apertar o play e ouvir um som, provavelmente o gigante Spotify foi a primeira coisa que veio a sua cabeça. Pois ele será o astro do comparativo de hoje!

Tela incial + navegação

Não faz muito tempo que o Spotify recebeu uma completa renovação de design que eliminou completamente os menus hamburgers em prol de uma barra de navegação inferior. Surpreendentemente a versão para Windows recebeu esta alteração logo nos primeiros dias, porém o impeto parou por aí. Não foi recebido algumas das novidades que foram adicionadas em sequência e que já podemos notar por aqui com a falta do menu “home”, que explora de forma mais ampla as sugestões baseadas nos seus gostos, já que a tela “navegar” tem um foco maior em listar as canções mais populares em diversos seguimentos. Olhando além, podemos ver que a sessão “rádio” não conta com o indicador do Daily Mix, que é mais uma das funções perdidas e que vamos falar mais a frente.

Biblioteca

Olhando o menu principal do aplicativo, onde você vai ter acesso a tudo aquilo que você salvou e lhe é de interesse, não é difícil notar o forte contraste na UI. Enquanto o Android busca uma ideia mais clean e com o minimo de elementos possíveis, a versão para Windows traz linhas fortes que separam bem as opções, o que torna tudo menos sofisticado ainda que seja mais fácil de compreender. Nos botões, é possível perceber também que ainda não foi concebido uma nova iconografia na versão do WP.

Playlists e Daily Mix

Os conceitos apresentados acima permanecem aqui, na listagem das playlists. Com uma iconografia que remete as versões anteriores do serviço e as citadas linhas separatórias, o aplicativo se torna ideia para pessoas de idade e usuários com pouco conhecimento tecnológico, mas não exatamente belo de se ver. Sem o devido update, notamos a falta do Daily Mix, nova função adicionada ao app que busca te trazer sugestões relacionadas aos seus gostos, de forma ainda mais personalizada e separada por estilos musicais. É interessante notar que a barra de reprodução no Windows tende a trazer um efeito “transparente-embaçado”, mudando ao decorrer que você navega pelo app.

Reprodução e Playlists

Felizmente, a parte mais importante e que dá proposito ao app não fica muito atrás e funciona muito bem, apesar ainda destacar os ícones de versões passadas. O problema fica com a lista de reprodução que mantem o padrão de design separatório de todo o resto do app, e não te permite alterar a posição das faixas, substituindo o devido botão pelo mesmo menu expansível encontrado nas páginas da biblioteca e que não tem um proposito por aqui.

Configurações

De forma totalmente desnecessária, a versão para Android traz todas as opções em uma lista imensa e que contradiz com o método mais pratico adotados pelo Windows Phone e iOS, que optam por um menu curto de categorias que traz submenus com as opções embutidas. Ainda assim, olhando de relance é possível notar que a versão para o sistema da Microsoft apenas traz o básico das opções, demonstrando aparentemente um sinal de preguiça dos desenvolvedores.

eguindo o padrão de sempre, a versão para Android apresenta um menu longo e com algumas funções a mais, tais como salvar vídeos automaticamente após postar e qualidade do upload, mas no geral é apenas uma forma diferente e menos econômica de se listar.

E esse foi o post da serie de Comparativo de Apps 2.0. Existem uma diversidade muito grande apps que estão presente na nossa plataforma como TwitterTelegram, Uber, Netflix, Alternativos para o Youtube e cia. Qual app você gostaria que nós fizéssemos? Deixem nos comentários!

1º Episódio: Whataspp

2º Episódio: Facebook

3º Episódio: Groove Music

4º Episódio: Facebook Messenger

5º Episódio: Instagram

 

Sobre André Portella

Estudante de TI, viciado em música, adorador de tecnologia e games.