Comparativo de Apps #4: Youtube! (Android x Windows Phone)

Demorou mais chegou! É, eu sei que tinham pessoas aguardando muito por esse comparativo e agora é a hora de saciar a sua vontade. Esse comparativo sofreu mudanças de última hora uma vez que após ficar totalmente pronto, o aplicativo do youtube no meu aparelho Android recebeu a nova interface que saiu na semana passada (sim, até as atualizações dos apps saem lotes), portanto a cara desse aplicativo deverá ser inédita até para os divorciados do robozinho verde.

capa - Youtube 1

O Youtube, junto com o Google Search & Ads, é um dos serviços mais importantes do Google, fazendo com que seja relevante até para aqueles que odeiam os serviços da buscadora. Assim, aliando-se ao fato de não possuir concorrentes à altura, o deixando em uma posição de alto privilegio no mercado, um verdadeiro monopólio, por assim dizer.

Mesmo que os serviços da Microsoft nos ofereçam total independência dos da Google (que insiste em negar-se a desenvolve-los para qualquer plataforma windows) a importância do Youtube faz com que a sua falta de um app oficial se torne um impecilho para a plataforma (ainda mais depois que tivermos um e o mesmo nos foi tirado), nos direcionando a caça por aplicativos de terceiros. É ai que somos surpreendidos pela gama de opções interessantes, completas e diferenciadas que encontramos na Windows Store, com nomes conhecidos como MyTube, MetroTube, PerfectTube, Tubecast e alguns outros de valor.

O comparativo trará novamente três apps, trazendo diversas de opções (até algumas não inéditas ao app oficial) e interfaces únicas, eu trouxe dois dos apps mais populares para esse comparativo: O divisor de opiniões e minha escolha pessoal “MyTube!” e o queridinho da praça, o belo “Tubecast“. Vamos lá

1

  •  Tela inicial

Essa é a “porta de entrada” do app oficial, mas o mesmo não ocorre com os outros aplicativos. Em uma tentativa de promover novas experiencias sugerindo vídeos relacionados aos que você costuma ver, em uma atitude até nobre essa é a tela que vos recebe ao lançar o app (ainda que isso não vá lhe ajudar se você deixa o seu filho pequeno assistir a peppa pig na sua conta), mas sem perder a oportunidade de lhe enfiar uma propaganda em grande destaque antes que você possa assimilar alguma imagem.

Pensando mais objetivamente, o Mytube e o Tubecast te jogam direto para uma visão geral das novas postagens dos canais que você se inscreveu, contudo em apenas um gesto swype teremos essa mesma tela de inicio ( porém sem propagandas \O/).

2

  •  Perfil e Menus

Deslizando para o lado correspondente a cada app você se encontrará no seu perfil com uma lista de menus para a sua navegação pelo app. O app oficial oferece um destaque a sua foto e capa, junto com um botão para fazer o upload de um novo vídeo direto do app para o seu canal. Em baixo encontram-se histórico, lista de vídeos do seu canal, notificações (que curiosamente não podem ser respondidas) e a sua lista de vídeos agendados para depois. Mais abaixo temos as listas de reprodução que você tenha criado.

No Mytube a intenção é a mesma, porém com os quadrados característicos da diretriz Metro onde o aplicativo se baseia por inteiro. Não falta nada ali, exceto talvez pelas notificações (que não poderiam ser adicionados por falta da api do Google +) e um atalho direto ao upload, mas com a adição da lista dos vídeos que você curtiu (não entendo o motivo do Google ter tirado do seu app) e até a lista de vídeos que você baixou, uma função especial do app.

No Tubecast não temos uma tela para esses dados e sim um menu lateral no melhor estilo hamburger! se por um lado isso mantém o seu foco nos vídeos, por outro a imersividade do app desparece. As opções são as mesmas do Mytube (apenas trocando a lista de baixados por um botão para fazer upload de novos vídeos) porém exibidos de forma mais moderna e amigável. É notável que o app não foi bem pensado para dispositivos com botões virtuais, uma vez que algumas funções ás vezes ficam escondidas abaixo da barra de contexto em baixo enquanto eles não estiverem ocultos.

3

  •  Lista de canais

A mecânica é a mesma aqui, mas os detalhes fazem toda a diferença. Enquanto o aplicativo oficial e o Tubecast traz um contador ao lado dos canais indicando quantos vídeos novos você ainda não visualizou, o MyTube traz a possibilidade de pular para a inicial do canal que você deseja, evitando a rolagem.

Vale lembrar que esse recurso presente nos dois primeiros é bem falho, uma vez que você pode ter visualizado esses vídeos indicados, porém se você não chegou a entrar na página do canal ele conta como não visto. Contudo, com um ícone flutuante, o Tubecast ainda te da a possibilidade de organizar a lista por ordem alfabética, por relevância com base no seu uso ou por aqueles que tem mais vídeos “não vistos”.

  • Visualização das listas

4

Tentando diferenciar a visualização das suas listas, o Google teve a sacada de deixar eles organizados de uma forma diferente da lista de postagens das suas inscrições, com caixas menores para que você tivesse um reconhecimento visual imediato, o que foi bem replicado pelo Tubecast, porém ao seu próprio estilo visual. Já no MyTube, se não foi dado à atenção ao cabeçalho é capaz  de deixar o usuário perdido no app.

Um dos motivos que me faz correr do Tubecast é a falta de opção de editar as minhas listas. Depender do navegador para remover um app da sua lista de espera apos consumi-lo é uma bela perda de produtividade, algo que não acontece com o Mytube, que lhe permite até mesmo a opção de salvar o vídeo, e obviamente o app oficial.

5

• Lista de postagens das suas inscrições

6

Para a nossa alegria, nada falta aqui, em nenhuma das opções. Temos uma lista coesa, bem organizada e com as informações mais relevantes (nome e thumbnail do vídeo, o canal que postou e a quantidade de visualizações). O aplicativo oficial ainda recebeu uma linha com um indicativo de quais os ultimos canais que postaram algo, que é até bem útil.

  •  Hub do Vídeo

7

Bom, é aqui que as coisas acontecem. Ainda que diferenciados por sua diretrizes visuais, não faltam funções aqui em nenhum dos alternativos. Podemos ver a descrição do vídeo, curtir (ou não), compartilhar, adicionar a alguma playlist e obviamente, assistir. No tubecast podemos fazer o download do vídeo, ou só o áudio dele (no caso do MyTube). Chupa Google!

8

Rolando a página, ou deslizando para os lados temos a visualização de vídeos sugeridos, e mais uma vez palmas para o Tubecast por manter o foco no vídeo, assim como no app oficial.

9

Apesar do Tubecast repetir o acerto, ao contrário do MyTube, ele se destaca aqui por ter uma opção que nem mesmo o app opara Android possui: Você pode curtir os comentários! Ao passo em que nos outros é lhe dado apenas a capacidade de visualizar os comentários agrupados em conversas e responde-los.

  • Player

10

Dando o play,  essa é interface que veremos. O app oficial costuma esconder as opções atrás em menus que ocupam a tela toda, e isso é um ponto bastante negativo na minha opinião. O Tubecast traz tudo a mão, com diversas opções bem acessíveis e sem tomar muito espaço, apesar de uma coisa ou outra saltar à tela quando você clicar. Inteligentemente, o MyTube traz o menu muito pratico, que lhe permite alterar qualquer coisa sem ter que parar de assistir!

E claro, a opção de avançar e voltar o vídeo deslizando o seu dedo sobre a tela presente no MyTube é sensacional. Destaque para a opção de transmitir o conteúdo para outro dispositivo com tela através do chromecast ou até por outras conexões sem fio. Ainda que esse recurso tenham utilizações limitadas (20), você pode desembolsar uma pequena quantia e garantir a permanência dele.

11

E como não dar destaque ao MyTube pela sua função única de mostrar as anotações que o canal colocar na tela? obviamente isso é opcional e nem o aplicativo do Google possui. Sabe quando você houve “clique aqui no canto para abrir o vídeo anterior” e não tem nada lá? Aqui isso não acontece.

wp_ss_20150804_0001

  •  Canais

12

Derrubando as questões estéticas, não vemos muitas diferenças aqui. As mesmas opções estão lá, porém distribuídas de formas e em lugares diferentes, tendo uma diferenciação mesmo só na campainha do app para Android, que é nada mais que uma opção de ligar as notificações daquele canal para que toda vez que ele fizer algo novo o app te notificar.

Há quem sinta falta do cabeçalho customizado (no Android ele tem a cor que o dono do canal escolher) ou até mesmo a “capa” do canal, que o MyTube não conseguiu fazer muito bem…

13

De resto, tudo está aqui, por mais que você tenha que fuçar um pouco e reaprender a cada vez que você transita de um para o outro.

  • Menção honrosa: Tela flutuante

15

Uma vez revolucionário quando o app oficial o fez, todo mundo adorou a chegada do recurso ao Tubecast. O MyTube sempre teve um alternativo meia-boca, que lhe permite continuar ouvindo e vendo o vídeo translucidamente no fundo de cada tela em que você navegar (?)

  •  Configurações

14

Seguindo o exemplo da maioria dos apps oficiais do Android, as configurações são voltadas a modificações da sua conta, privacidade e pouco se baseiam na personalização do app. Sim, dá para customizar as legendas e alterar as opções de notificações, mas nada que altere muito a sua experiência.

Da mesma forma, seguindo a tendência de apps alternativos, tanto o MyTube quanto o Tubecast carregam opções de personalização como alterações da cor do fundo do app, da cor de destaque, da aparência das live tiles e opções de continuar reproduzindo o aplicativo em segundo plano. Sim! você pode por uma música ou um podcast e ir fazer outra coisa no seu dispositivo. Chupa Google, de novo!

  • E o jogo continua…

16

No inicio do texto eu comentei que o Youtube mudou a sua interface mobile, correto? o aplicativo matou completamente o menu hamburger, substituindo por pivôs no topo, onde a navegação agora se concentra.

Quem leu a minha analise da evolução visual do Windows em Smartphones sabe que a adoção do menu hamburger no sistema é uma tentativa de deixa-lo mais familiar ao novos usuários, algo parecido com o que foi feito com a volta do menu iniciar. Estranho a Google adotar a navegação por pivôr (algo que a Microsoft utilizava tanto no metro) matando o menu hamburger (isso aconteceu em alguns outros apps da companhia) justamente agora, não acham? dêm a sua opnião.

Youtube wp

Há um tempo atrás a Google colaborou com a Microsoft para a criação do app do Youtube para a plataforma, mas retirou o doce da nossa boca e até hoje ignora a plataforma. Ainda assim, conforme o Windows Phone cresce, mais dinheiro a empresa de Montain View perde por negar-se a atender a alguns milhões de usuários. Com o app oficial para Xbox, sabemos pelo menos que nada é impossível.

Esse foi o 4º Comparativo de apps e provavelmente um dos mais esperados. Qual app que você gostaria de ver aqui na próxima semana? estamos ansiosos pela sua sugestão!

Não deixe de conferir os episódios anteriores:

#1 Whatsapp

#2 Facebook

#3 Instagram

Sobre André Portella

Estudante de TI, viciado em música, adorador de tecnologia e games.