Cuidado ao usar seu Android ou demais dispositivos em lugares públicos

Segurança digital é algo bastante importante hoje em dia, afinal, muitas vezes armazenamos informações pessoais muito importantes em nossos dispositivos. Para proteger nosso conteúdo utilizamos a boa e velha senha. Mas se você é usuário Android e tem pouca paciência, é provável que você use um padrão geométrico em vez de uma senha alfanumérica para desbloquear seu aparelho não é mesmo?

Uma pesquisa apontou que esse é o método favorito de 40% dos usuários, mas apesar de sua praticidade, essa forma de bloqueio pode ser alvo de hackers. Um grupo de pesquisadores em uma universidade da China usou uma câmera e um software de detecção de movimento para burlar o sistema e desbloquear qualquer dispositivo Android em no máximo cinco tentativas. A pesquisa foi realizada para analises por pessoas bem intencionadas, ao passo que para um hacker seria ainda mais fácil.

A pesquisa revelou que o melhor lugar para conseguir o feito é em lugares movimentados, como uma cafeteria ou livraria. O hacker pode ficar em uma distância de 2,5 metros para conseguir “facilmente” desvendar o padrão adotado pelo usuário. O invasor filma o movimento das mãos da vítima, não sendo necessário captar a tela do aparelho, e em segundos, um algoritmo presente em um software calcula um pequeno número de probabilidades possíveis para o padrão de desbloqueio.

Ao contrário do que todos podem pensar, nesse caso, senhas mais complicadas facilitam a vida do hacker, já que quanto mais complexo for o desenho, mais as mãos precisam se movimentar, o que alimenta o computador com mais informações que no final facilitarão seu trabalho.

Ao contrário da percepção das pessoas de que padrões mais complexos dão mais proteção, esse ataque funciona melhor com senhas difíceis – disso, Guixin Ye, líder do grupo de pesquisa.

Os pesquisadores chineses usaram 120 padrões de desbloqueio fornecidos por voluntários, e 95% deles falharam antes da quinta tentativa. Só 60% dos “desenhos” considerados simples caíram, contra 87,5% dos padrões com maior dificuldade. E não é só smartphones que podem ser hackeados dessa forma, o tamanho da tela do aparelho não fizeram diferença nos testes, até tablets foram submetidos e falharam.

Uma pesquisa feita anteriormente revelou que apesar das mais de 300 mil combinações possíveis que o Android oferece, mais da metade dos usuários usavam desenhos de apenas quatro “bolinhas”. Essa é uma versão visual da prática de usar senhas como “12345”. Dito isto, cuidado a usar seu aparelho Android ou qualquer um que seja em lugares públicos, claro que dificilmente alguém ficará a espreita com um software para hackear seu dispositivo, mas é sempre bom ficar alertas em certas ocasiões.

Via

Sobre Uanderson Conceição

Chief executive officer (CEO) na empresa Meu-Smartphone. Youtuber, adora praticar Downhill Mountain Bike, entusiasta da natureza e acredita soberanamente em Deus.