Duas cabeças pensam melhor que uma: curiosa patente é renovada pela Microsoft, entenda

Junto a curiosidade que se forma sobre o que os laboratórios da Microsoft trabalham no momento, mais e mais patentes surgem para nos dar pistas ou apenas para nos confundir um pouco mais. Após o registro de um hibrido dobrável que se categoriza entre tablet e smartphone a empresa renova uma das suas antigas patentes, que traz a possibilidade de juntar dois dispositivos diferentes para formar apenas um painel combinado.

Com o nome de “Multi-Device Pairing and Combined Display.” a Microsoft espera tornar possível que a formação de uma tela maior a partir do empareamento de dois dispositivos menores, que se juntariam fisicamente e compartilhariam as respostas touch via software. A Microsoft também descreve gestos específicos de transição de páginas e o uso de um aplicativo de noticias que sugere que eles têm uma plataforma específica em mente, possivelmente similar a esquecida interface Microsoft Courier.

O pareamento inteligente das telas seria capaz de possibilitar o reconhecimento de toques individuas em cada tela que poderiam conversar entre si, assim como o uso reconhecimento de um movimento continuo de uma tela para outra, como em um display único. Graças a isso alguns truques como a transição de objetos de uma tela para a outra, assim como uma visão split screen seriam possíveis. A Microsoft indica que o ambiente ilustrado inclui o exemplo de um dispositivo de computação que pode ser configurado de várias maneiras, como qualquer tipo de dispositivo ou computador com várias telas. Por exemplo, o dispositivo de computação pode ser configurado como um um laptop, um notebook, um tablet-PC, um computador de mesa, uma estação móvel, um dispositivo de entretenimento ou um dispositivo de jogos.

A curiosa ideia provavelmente não esta ligada a um dispositivo planejado ao consumidor, uma vez que o seu caráter corporativo é claro. A ideia afirma que esta plataforma independente poderia ser implementada sobre diversas outras plataformas, através do uso de nuvem, permitindo utilizar estas funções em um dispositivo Apple ou com Android.

Fonte.

Sobre André Portella

Estudante de TI, viciado em música, adorador de tecnologia e games.