[editorial] Adeus Windows Phone, bem-vindo Windows 10 Mobile

Windows 10 Mobile

O sistema que hoje você ama nasceu há 5 anos. Diversos dos mais fervorosos fãs da plataforma tem acompanhado desde os primordios, ou pelo menos quando ela começou a chamar muita atenção com o Lumia 800 e posteriormente os 920 e 520. Uma coisa não podemos negar, a Microsoft avançou muito seu SO móvel, mesmo que lentamente.

A empresa de Redmond sem dúvidas entrou nesse ramo tarde demais, em um momento nada oportuno onde duas das suas maiores rivais dominam o mercado. Cambaleando de forma desajeitada, a ideologia do sistema passou por diversas variações, as decisões tomadas são tão divergentes que é difícil acreditar que tudo foi feito pela mesma empresa, e de certa forma, não foram.

E aqui está algumas das consequências. Ultimamente a Microsoft têm nos dado a sensação de que está tratando o Windows 10 Mobile como plano C, e frustando completamente seus clientes levando seus produtos e serviços para outras plataformas. Diminuindo assim, o poder de desenvolvimento do OS móvel.

Com a divulgação dos resultados financeiros do quarto trimeste, a comunidade entrou em choque. Se há pouco tempo atrás o sistema estava batendo recorde entre as suas vendas, dessa vez houve uma queda de 53%! E Apesar de novas empresas estarem investindo na proposta de Apps universais, outras começaram a anunciar o encerramento do desenvolvimento de seus apps na plataforma como é o caso da  Tencent que também fez duras criticas sobre as atitudes da empresa.

Será que tinha alguém que não esperava por isso? é só olhar o histórico dos acontecimentos de 2014-2015 e verão que o ocorrido já era mais do que certo. Desde a carta de Nadella, começamos a ver uma grande restruturação no setor mobile da Microsoft, que balançou muito as coisas. Mudando totalmente a estratégia, a Microsoft que antes tentava ser uma grande competidora no melhor estilo Samsung – sem sucesso, diga-se de passagem –  alterou o seu rumo entrando em uma rota muito mais racional e coesa, graças ao seu novo CEO.

microsoft-ceo-bill-gates-satya-nadella-steve-ballmer

Todas as atuais frustrações de usuários estão ligadas aos seguintes problemas na plataforma:

  • Atraso na liberação oficial do Windows 10 Mobile – que consequentemente atrasa/atrasou o lançamento de novos dispositivos;
  • Atrasos na liberação da Cortana para o México e Brasil – prometida para o final de 2015;
  • Bugs encontrados em novos dispositivos recém lançados com o Windows 10 Mobile, que a propósito foram lançados com versões prévias do SO;
  • Demora no lançamento de aplicações universais prometidas desde outubro: Facebook, Messenger e Instagram;
  • Lançamento de novas funcionalidades e Apps em outras plataformas (iOS e Android), mas não para o próprio Windows Phone. Exemplo: teclado curvo no iOS e App de alarme Mimicker para o Android;
  • A falta de um smartphone competitivo da classe mid-end, como um Lumia 750 ou 850 – que consequentemente fez as vendas de smartphones com Windows no último trimestre despencarem;
  • O design frustante de novos carros-chefe, considerados por muitos como feios e mal acabados;
  • E por fim, a ausência de alguns Apps e jogos famosos, como o Snapchat e o Clash of Clans.

Será que o Windows nos Smartphones ainda é importante para a Microsoft?

Mas é claro que sim! e a maior evidência disso é o UWC (universal windows plataform) que nada mais é todo o ecossistema universal criado pela Microsoft. Esse ponto, destacado fortemente como uma das vantagens principais para o Windows 10 em qualquer dispositivo (PC, vestíveis, Xbox, Smartphones) simplesmente não existe sem os smartphones.

Seguindo as palavras de Chris Capossela (vice-presidente executivo e Chief Marketing Officer):

“Se você ama o Windows 10 , se você ama o seu tablet com Windows 10 , ou seu Surface , ou seu notebook, queremos ter um belo smartphone para você, algo que te deixaria muito orgulhoso em ter a mesma experiência em todos os seus dispositivos, os mesmos aplicativos serão executados no seu telefone como são executado no seu notebook ou tablet.”

Esse é o diferencial do sistema da Microsoft. Essa é a proposta que a empresa quer poder apresentar. Afinal, quem não iria querer ter uma integração completa baseada no mesmo sistema entre qualquer dispositivo? o que parecia algo extremamente distante, está hoje a centímetros dos usuários. Isso simplesmente não existe sem o Windows 10 mobile.

Mas o que está acontecendo então?

A principal culpada por todo alvoroço na comunidade vem da própria Microsoft, pois eles não costumam se pronunciar para acalmar os ânimos dos seus usuários, exemplo disso: atraso da liberação da Cortana no Brasil, além da liberação oficial do Windows 10 Mobile para modelos existentes, que passou de dezembro de 2015 para fevereiro de 2016.

Nada foi mencionado sobre o assunto, a não ser quando algum usuário toma a liberdade de fazer perguntas por meio do Twitter, tudo isso levou a ira de muitos clientes. Com a dificuldade em cumprir prazo, pendência de novos lançamentos, causaram o uso de hashtags do tipo #Microsoon para fazer menção ao fato de tudo da Microsoft ter um “Em breve” na frente.

Windows-10-todos-destaque

Em 2014 tivemos apresentação de lançamentos empolgantes como o Lumia 930, 730 e 830, por isso vimos a sua taxa de participação de mercado crescer tanto. Já em 2015 isso não aconteceu, ficamos sentados esperando por novos lançamentos que nos empolgassem. O que tivemos em 2015 na verdade? O Lumia 535, Lumia 640 e Lumia 640 XL? Todos esses aparelhos parecidos? Os recém lançados (Lumia 550, 950/XL) apenas acabaram de chegar ao mercado, aqui no brasil ninguém nem sabe se vai chegar. Embora, os entusiastas não estejam tão empolgados pela sua chegada (eu não estou).

A falta de novos dispositivos intermediários e a apresentação tímida do Lumia 550 deixou todos os usuários receosos que buscam o seguimento mais básico, com razão. A mensagem por trás disso é clara: por mais que a empresa tenha deixado claro que caso nenhuma fabricante traga o Windows 10 Mobile ao mercado, ela mesma o fará, é preciso que exista um espaço para se ocupar para que haja quem queira investir na plataforma.

Conclusão

Você deveria esperar por isso. A Microsoft sabia que a queda nas vendas ocorreria, e não sejamos ingênuo, isso continuará acontecendo até que todo processo de restruturação se complete. Para “começar tudo de novo”, todo um recomeço é árduo.

Com o grande desafio de mostrar que qual a real diferença na proposta do novo sistema, a empresa de Redmond sabe que ainda há muitos altos e baixos até que o seu objetivo seja alcançado, principalmente por conta da ciência que sem dúvidas eles tem de que o Continuum – é uma a função de maior importância para os novos objetivos da empresa – precisa maturar muito até conseguir fazer tudo o que o conceito sugere. E assim, ao contrário do que muitos pensam, essa não é a ultima chance para o Windows nos Smartphones.

Minha opinião

Eu particularmente não uso um smartphone de outra plataforma desde o iPhone 3GS e o Sony Xperia Neo, eu não costumo utilizar um smartphone que eu não sinta prazer. Se há boatos sobre o futuro ou se existem Apps que funcionam melhor em outras plataformas, tanto faz pra mim, com toda a sua precariedade de aplicativos na plataforma, o que já são realidade e que de fato eu utilizo são suficientes para mim.

Hoje, podemos dizer sim, que a Microsoft atende ao mínimo que um OS pode propor. Agora com o Windows 10 Mobile a realidade será mais consistente, tudo por conta da integração. É só uma questão de tempo para que a empresa esteja focada e melhore o OS móvel.

Certamente, o Windows 10 Mobile é uma das peças mais importantes que a Microsoft tem para montar em seu futuro, mas como sempre foi, os planos da empresa são direcionados a longo prazo, visando o futuro. O Windows 10 Mobile é o primeiro passo do recomeço e não “a ultima chance para o Windows Phone” como muitos pensam.

Sobre Uanderson Conceição

Chief executive officer (CEO) na empresa Meu-Smartphone. Youtuber, adora praticar Downhill Mountain Bike, entusiasta da natureza e acredita soberanamente em Deus.