Lenovo admite que tornar a Motorola lucrativa tem sido mais difícil que o esperado

Desde a sua volta ao país, a Motorola tem adquirido grande sucesso em nosso mercado, emplacando altos números com as vendas dos diversos dispositivos da linha Moto até os dias de hoje. Quando olhamos para um cenário como o nosso e o encontrado na Índia, vislumbramos uma realidade que não é global, uma vez que a marca tem sofrido um pouco para apresentar bons resultados em diversos mercados após a venda para a Lenovo.

O CEO da Lenovo, Yang Yuanqing revelou ao Wall Street Journal que fazer a Motorola crescer no mercado tem sido uma tarefa mais árdua que o esperado. Após o negocio feito em 2014 que garantiu a compra da lendária fabricante por $2.91 Bilhões, a chinesa assumiu o controle da companhia em acensão esperando juntar forças necessárias para garantir o crescimento dos seus negócios no setor móvel. Contudo, a Lenovo viu grandes dificuldades para competir em algumas regiões, o que gerou a demissão de 2,000 postos de trabalho nos Estados Unidos, assim como a perda da 1ª posição na china e a queda para a 8ª posição no mercado global.

Mesmo que a Lenovo tenha conseguido encorporar a IBM e tornar as suas linhas sinônimos de sucesso, a mesma estrategia não funcionou com a Moto, que tem sido barrada pela saturação de dispositivos acessíveis em mercados desenvolvidos. O foco em smartphones tops de linha também não foi a solução, uma vez que competir com os mesmo preços praticados pela Apple e Samsung não tem sido uma escolha sábia.

A chinesa informou no inicio do ano anterior que a Motorola começou a apresentar lucros, ainda que tenha demorado mais do que o esperado. Não se sabe a que passo andam os planos para a marca, mas rumores apontam que a linha Moto deverá ser priorizada e substituir as demais opções da Lenovo nos próximos anos.

Fonte.

Sobre André Portella

Estudante de TI, viciado em música, adorador de tecnologia e games.