Nokia 5320 Xpressmusic: Muita música e inteligência – Nostalgia

Celulares voltados a tocar músicas já foram última moda em 2008. Para quem queria ouvir músicas no celular, existiam diversas opções. A Nokia era uma das pioneiras com a sua linha Xpressmusic que fazia frente aos concorrentes com muita desenvoltura unindo estilo, praticidade e muita qualidade de áudio.

Dentro da linha existiam também modelos como Nokia 5320 Xpressmusic, que misturavam o melhor de dois mundos, toda qualidade na reprodução de som e todas as funções avançadas de um smartphone Symbian.

O 5320 tinha uma missão interessante, oferecer toda excelência de um celular musical e unir isso a praticidade de um smartphone. Isso ele fazia muito bem já que ele era equipado com sistema operacional Symbian S60 9.3. O que permitia executar diversas funcionalidades simultaneamente, como rodar Apps em segundo plano e instalar Apps de terceiros tanto em extensão sis, sisx e jar (java).

No visual, um celular feito em carcaça preto-brilhante ou black piano, passando para as laterais com uma linha vermelha ou azul dava mais “esportividade” ao aparelho. Por conta disso, muitos reclamavam das marcas de dedo deixada na carcaça brilhante, especialmente na parte traseira.

Além do design bem descolado, o que identificava o Nokia 5320 como um aparelho musical era seus botões laterais de controle. Você podia avançar, retroceder ou pausar musicas sem precisar desbloquear o aparelho, um ponto chave dos dispositivos Nokia. A praticidade aumentava quando se colocava o aparelho no bolso, assim mesmo sem olhar você conseguia controlar o player.

Seu principal ponto positivo era a economia de energia. O aparelho fazia tudo com muito vigor, além de ler músicas em formato MP3 e WMA, incluía também o AAC e FLAAC, com capas de álbum e tudo.

Os auto-falantes do aparelho não eram altos, mas se quisesse ampliar a capacidade poderia conectar uma caixa de som bluetooth ou uma caixa de som tradicional graças a sua entrada de 3.5MM.

Na memória interna, apenas 140 megabytes dava conta do recado, ele vinha com cartão de memória de 1GB disponível na caixa. O processamento era modesto, apenas 392MHz e 128MB de RAM. Isso tudo era suficiente para as atividades mais básicas. De conexão, apenas o 2G e 3G. Entretanto, um lado muito ruim era a falta de conexão a redes sem fio Wireless.

De fábrica, vários aplicativos incluindo um identificador de músicas, tinha possibilidade de instalar o Shazam também. O Real Player também dava conta do recado na hora de tocar videos e você também podia assinar seus podcasts favoritos. Uma função interessante era a “say and play” (Diga e toque), onde com um botão você dizia o nome do artista, música ou outros detalhes e ele tocava, tudo isso através da voz.

Na hora de tirar fotos, a câmera decepcionava bastante, apesar de vir flash de LED e ter apenas 2 MP de resolução, as fotos não saiam boas. Relatos de usuários e testes feitos por mídia especializada caracterizam a câmera como “fraca ou ruim”. Apesar de haver vários efeitos e configurações diferentes, a falta de auto-foco prejudicava muito as imagens. Havia também varias opções para fazer upload por meio do Flickr, que era bem legal para quem queria compartilhar fotos nas redes.

O Nokia 5320 Xpressmusic nunca tocou o solo brasileiro, apenas por meio de importação independente. Segundo algumas pesquisas em fóruns, o preço do celular podia chegar a 200 dólares. Ele era uma opção bem interessante principalmente em vista do Nokia 5800 que também foi lançado no mesmo ano, com opção de tela touch screen e tecnologias mais modernas. O 5320 agradava quem ainda não tinha intimidade com telas de toque e queria um celular moderno, descolado e com toda qualidade Nokia.

Sobre Kennedy Muniz