O que pode significar o fim da Motorola para o Windows 10 Mobile?

É, 2016 chega a todo vapor e parece que grandes novidades estão chegando por aí. Depois de assistirmos a filandesa Nokia perder o seu lugar de prestigio e ser engolida pela Microsoft, quem esperaria que mais um grande nome da tecnologia deixaria o mercado móvel?

Caso você tenha estado fora de orbita desde ontém, talvez não saiba que eu estou me referindo a morte da marca Motorola. Sim, a patriarca da telefonia será apenas uma lembrança em pouco mais de um ano, pelo menos o seu conhecido nome.
Lembrando um pouco do passado, a gigante que inventou o primeiro telefone celular não se adaptou muito bem a revolução dos smartphones. Apesar de ter sido uma das pioneiras com o sistema da Google, a Motorola enfretou diversas fases negativas devido as suas escolhas confusas e pouco trabalhadas. Após quase chegar a falência, a companhia foi comprada pela Google, que deu vida nova, renovou a casa e pos a empresa no rumo certo, lançando a linha Moto.

Com os primeiros exemplares, Moto X e Moto G em 2013 a Motorola revolucionou o mercado (mais uma vez na história) trazendo aparelhos com especificações extremamente equilibradas e competentes por um preço muito abaixo do que as concorrentes cobravam. Só para você ter uma noção, antes desses dispositivos não era nada comum você ver um aparelho com tela HD na faixa intermediaria. Não era comum ver um intermediário com flash e câmera frontal combinados, muito menos com um conjunto que contava com um processador competente e 1 GB de Ram, tudo por menos de 1000 reais. Não vou nem citar o fato de haver um flagship por 1499 em uma epoca como essa.

Lenovo

Com esses dispositivos a Motorola fez sucesso em países emergentes, estava à caminho de recuperar boa parte do prestigio que o seu nome um dia lhe deu e prometendo bastante com a sua nova geração de dispositivos. A Google tinha feito sua tarefa de casa, logo, com tudo nos eixos, se apossuiu das patentes da empresa (ainda assim mantendo um acordo de partilha) e a vendeu para a Lenovo aos finais de 2013. A Motorola passou a trabalhar inicialmente como um membro independente da chinesa, mas aos poucos foi se integrando mais e mais até passar a receber influência direta com a linha de 2015. Hoje, totalmente vinculadas, a Motorola chegou até a fazer um evento em nosso país, lançando o Lenovo Vibe A7010.

Eis então que Rick Osterloh (CEO da Motorola) anunciou recentemente na grande feira de tecnologia CES 2016, em Las Vegas, que a marca será engolida de vez. Em algum momento de 2017 a marca Motorola deverá sumir do mercado, ainda que a linha permaneça com o nome Moto e com o iconico logotipo. Passando a se chamar “Moto by Lenovo” isso pode ser algo muito bom para a comunidade Windows?

A Lenovo construiu seu imperio com os computadores equipados com o sistema da Microsoft, mantendo uma boa relação com a companhia de Redmond em alguns anos. Agora totalmente sem influências da Google a Motorola sob a tutela de uma parceira da Microsoft tem grande chances de apresentar interesse em trazer um diferencial aos mercados com o sistema com base já conhecida pela chinesa.
O vice-presidente da empresa inclusive declarou há pouco tempo a possibilidade de lançamento de um dispositivo com Windows 10 Mobile:

“A Motorola tem um marketshare entre 2% e 3.5% no Reino Unido, ou seja, uma base pequena. Nós sabemos que este mercado é dominado por dois grandes players. Nós também sabemos que a Motorola tem uma marca forte que foi bem trabalhada no passado, e nós estamos focados em reviver esta marca. Há um processo de avaliação sobre quais plataformas devemos oferecer. Nós somos um grande parceiro da Microsoft em PCs, tablets e servidores, e continuamos a avaliar todo o ecossistema. Se fizer sentido, vocês poderão ver um Windows Phone feito por nós”.

De certa forma então, os fatos combinados parecem bastante promissores, mas nem tudo são flores. Com o seu novo Smartphone em parceiria com a Google anunciado na CES advindo do Projeto Tango, a Lenovo está se aproximando cada vez mais da gigante de Mountain View, que obviamente não seria a melhor influência nesse momento.

A Lenovo que tenta firmar uma popularidade tão grande com a sua marca no universo mobile como ela conseguiu no mercado para desktops, agora com ajuda de uma poderosa arma como a influência da Motorola. Será que a empresa optará por marter-se em um terreno menos arriscado porém acirrado com o sistema da Google? ou será que a ela buscará pela diferenciação oferecida pelo Windows 10 Mobile apostando em algo novo baseando-se na sua parceiria de sucesso com a empresa de Redmond?

Será que finalmente veremos um Moto rodando Windows?

Via: OlharDigital

Sobre André Portella

Estudante de TI, viciado em música, adorador de tecnologia e games.