“Projeto NEON” trará nova linguagem de design ao Windows 10

Windows-10-Devices

Ao falarmos da interface do Windows há muito o que se analisar ao decorrer do tempo. A famigerada interface para computadores trazida desde o Windows 95 se tornou familiar para diversas gerações vivas, sofrendo apenas mudanças drásticas com a chegada do Windows 8 e a sua interface Metro, que também marcou a evolução do antigo Windows Mobile para o Windows Phone 7. Assim como no computador, a diretriz visual não foi bem aceita de cara, sofrendo diversas críticas até os dias de hoje e forçando a Microsoft a refina-la sempre, ainda que não mostre pretensões de abandonar os seus principais elementos.

Com o Windows Phone 8 e 8.1 o design apresentou diversas mudanças, assim como nos PC’s com o Windows 8.1, focando no polimento do conceito de uma interface amigável ao Touch e sincronizada entre dispositivos de tamanhos diferentes, e ainda assim, buscando não perder a “identidade Windows” e a facilidade do uso com o mouse e teclado, o que se mostrou nada fácil.

Dividindo opiniões pelo mundo afora, o sistema para desktops viu uma adesão muito menor em relação ao antecessor Windows 7, assim como o sistema móvel recebeu apelidos pejorativos, tais como “Tetris Phone” e diversos outros. Contudo, ao mesmo tempo o design era elogiado em muitas analises por trazer uma ideia totalmente original, escapando da mesmice e trazendo características que hoje são copiadas pelos seus concorrentes, como os designs flat e minimalistas, e o foco na simplicidade e objetividade.

interface-windows-10

O Windows 10 chegou com a proposta de acabar com as inconsistências na proposta de uso para os novos computadores 2 em 1, assim como trazer a parte mais conceituada do sistema para a suas versão móvel, mantendo o que era bom na interface metro e resgatando o que o sistema já tinha trazido melhor desde versões anteriores, o que resultou em uma linguagem unificada e que funciona em todos os dispositivos que são capazes de rodar o novo sistema, agora totalmente multi-plataforma.

Preliminarmente chamada de Adaptive UX, a interface adotada para o sistema atual da Microsoft tinha tudo para dar extremamente certo, mas devido ao pouco espaço entre o desenvolvimento e o produto final -que teve que dividir o seu foco em torno de uma gama de dispositivos nunca vista antes – ficaram lacunas e inconsistências que ainda persistem até o ponto atual. É possível notar estes problemas ao analisar as grandes “sobras de espaço” nos menus da nova versão, assim como a ligeira monotonia que existe nas telas de cor sólida e pouco animadas, quase sem ícones e detalhes visuais que tragam vida a cena.

Também existe o problema da perda de identidade: no Windows 10 temos menus hamburger, menus expansíveis, o uso de pivôs, botões flutuantes, diversos menus de contexto diferentes, barras de apps e mais, causando confusão e atrapalhando a harmonia do sistema, ao passo que impedem que haja uma interface consistente e homogênea.

O “Projeto NEON”

windows10-pc-smartphone-integration

Visando isso, fontes internas trouxeram ao portal Windows Central a confirmação de que a Microsoft estaria trabalhando em uma nova linguagem de design para uma próxima grande atualização do sistema, que tem sido trabalhada internamente a pouco mais de um ano sob o codinome “Project NEON“. Calma, isto não é mais um reboot, mas sim uma evolução natural da interface do Windows 10, atualmente conhecida oficialmente pelo nome “Microsoft Design Language 2“, trazendo todas as mudanças e incrementações que faltam para o sistema refletir a visão da Microsoft para futuro do Windows no mercado. A nova identidade manterá a simplicidade e design clean, porém trará maior refinamento a linguagem, adicionando diversas animações e transições, trabalhando nos detalhes e buscando integrar ainda mais os dispositivos.

Os detalhes do projeto ainda são escassos, porém os funcionários envolvidos afirmam que a UI é muito mais fluída e bela que a interface estática atual, apresentando aos apps elementos que são capazes de “escapar” das bordas das janelas, trazendo uma experiência única. Também foi dito que o NEON fará uma ponte entre a holografia e a realidade virtual, linkando com a area de trabalho dos dispositivos como conhecemos. “É uma ‘UI que se conecta através de dispositivos’ com um UX que mapeia até o mundo físico. Ela usa texturas, modelos 3D, iluminação e muito mais.” afirmam fontes, indicando também que por tratar-se de uma evolução, os apps com a linguagem atual não ficaram deslocados, e os desenvolvedores poderão aderir facilmente aos novos elementos.

A revolução conhecida como “Redstone 3”

Segundo os relatos internos, a nova linguagem deverá chegar ao Windows com a Redstone 3 (que também é a atualização que supostamente trará vida as maiores novidades da versão móvel e ao Surface Phone), que é esperada para o final de 2017, mas deveremos começar a ver elementos destas alterações a partir das primeiras builds de desenvolvimento em maio-abril de 2016.

O desenvolvimento do Projeto NEON deverá continuar forte até a Redstone 4 em 2018, que consolidará a interface, oferecendo aos desenvolvedores 3rd-party a capacidade de tirar ampla vantagem das novas ideias. Com estas noticias é possível esperar muitas novidades da gigante de Redmond para o Windows, Xbox e Windows Mobile por até 2 anos a frente.

Fonte.

Sobre André Portella

Estudante de TI, viciado em música, adorador de tecnologia e games.