Faz muita diferença? Linha Samsung Galaxy S10 virá ao Brasil com chipset relativamente inferior ao Snapdragon 855

Muitos esperam ansiosamente pela chegada do mais novo topo de linha da Samsung, a linha Galaxy S10. Contudo, para o Brasil e outras regiões, o chipset equipado nele será aquele fabricado pela própria Samsung e não o fabricado pela Qualcomm. Mas será que há algum mal nisso?

Como é de conhecimento de todos, a Samsung trabalha com processadores diferentes para regiões diferentes, como é o caso do Brasil, cujo processador utilizado sempre foi o da linha Exynos, que em todos os casos consegue sim bater de frente com o desempenho dos processadores Qualcomm, com exceção de alguns pontos.

Um teste realizado pelo portal site “AnandTech” colocou dois modelos do Galaxy S10 Plus em diversos testes de benchmark através de programas PCMark e Speedometer 2.0. Em todos os testes (12 ao todo), o modelos equipado com o Snapdragon 855 se saiu melhor.

Segundo testes de benchmark realizados, esses foram alguns dos resultados obtidos:

  • O programa PCMark fez o teste de edição de fotos, onde o Snapdragon fez 17.496, o Exynos fez apenas 11.412.
  • No Speedmeter 2.0, todos os testes feitos mostravam que o Snapdragon alcançava mais de 1.000 pontos a mais que o Exynos.
  • A única coisa boa do Exynos 9820 é na verdade as suas melhorias se comparado ao modelo antecessor (Exynos 9810), quando feito os mesmos testes.

Sobre o Samsung Exynos

O Exynos feito pela Samsung é uma excelente família de processadores. A maioria do mundo vai receber o processador que é fabricado em casa e uma grande desvantagem do Snapdragon 855 é o consumo de bateria. Agora, um celular topo de linha desses dura, rodando tudo de mais pesado, uns 3 anos no cotidiano antes de começar a não segurar mais carga.

Ficar trocando de celular a cada lançamento é coisa para quem pode se dar o luxo de jogar um pouco de dinheiro fora, pois a diferença de desempenho de um aparelho desses para um Galaxy S7 ou Galaxy S8 da vida, por exemplo, dificilmente seria percebida por qualquer usuário.

Outro exemplo claro seria um smartphone com display de 500 PPI, o que na maioria dos casos não é percebido pelo o olho humano. Então não faria nenhuma diferença se o aparelho tivesse apenas 350 ppi ou 400 PPI, ou seja, qualquer valor acima disso se torna irrelevante.

Via

Sobre Luiz Carlos Tinoco Junior

Redator, músico e apaixonado por tecnologia e tudo que ela pode proporcionar!! Apaixonado pela Xiaomi!!