Smartphone que se autodestrói já é realidade – não, não é o Galaxy Note 7

Smartphones explosivos é algo que queremos distância, mas ao contrário do Galaxy Note 7 que explodia “do nada”, você provavelmente pode começar a querer um aparelho com uma “tecnologia” semelhante após sabermos da seguinte descoberta.

Usando a bateria a favor do proprietário

Um grupo de pesquisadores da Arábia Saudita conseguiram desenvolver um protótipo de um dispositivo que se destrói completamente em aproximadamente dez segundos ao ser colocado sob determinadas condições.

Um dos pesquisadores conta que esse mecanismo tem como intuito canalizar o poder da bateria a eletrodos que aquecem rapidamente, fazendo com que o dispositivo libere um polímero especial que rapidamente se expande e esmaga o processador do aparelho, tornando-0 inútil para uso.

Uma tecnologia que funciona á distância

O melhor disso tudo é que a tecnologia pode ser ativada á distância, ou seja, a destruição pode ser programada mesmo com o proprietário do smartphone longe do aparelho, um ótimo recurso em situações de roubo, por exemplo. Dois testes estão sendo feitos: o primeiro funciona em conjunto com o GPS, que é capaz de ativar a função de autodestruição quando o aparelho passa de uma determinada distância, e o segundo, através de um aplicativo que após digitar uma senha, desencadeia a “explosão”.

Claro que por enquanto, tudo está em fase inicial e não passa de um protótipo, mas a equipe espera implementar o mecanismo de uma forma que consiga destruir não apenas o chipset, mas as unidades de armazenamento e outros componentes por completo.

Via

Sobre Uanderson Conceição

Chief executive officer (CEO) na empresa Meu-Smartphone. Youtuber, adora praticar Downhill Mountain Bike, entusiasta da natureza e acredita soberanamente em Deus.