Smartphones importados sem procedência serão bloqueados a partir de setembro por operadoras

Sabemos que além dos diversos smartphones de marcas como os da Xiaomi, Umi e Meizu, que os brasileiros andam importando países afora, existem outro conjunto de dispositivos móveis que sequer tem algum tipo de registro por algum órgão regulamentador. Esses de fato são os xing-ling, que não possui um IMEI (identificação única do telefone) e funcionam de forma irregular.

Dito isso, a Anatel decidiu nesta quarta, 24, que a partir do segundo semestre do ano os celulares do gênero, que geralmente são contrabandeados, sem certificação de agência, sem número de IMEI e sem registro no banco de dados da GSMA (Associação global de operadoras móveis) que se conectarem às redes das operadoras de telecomunicações serão bloqueados, isso é, depois de um período de 75 dias após terem recebido um aviso prévio, emitido pelas operadoras.

O alerta vai para aparelhos chineses de segunda categoria, com marcas pouco conhecidas ou até mesmo sem marca, mas que são facilmente encontrados à venda por preços muito abaixo da média, esses são smartphones sem procedência. No entanto, se você costuma importar smartphones como os da Xiaomi, Huawei ou outras (que a propósito possuem IMEI), fiquem tranquilos, pois esse aviso não é para vocês.

A notícia vem depois que a telecom registrou cerca de 1 milhão de celulares desse tipo sendo adicionados mensalmente à base das operadoras, ou seja, quando recebem um chip. Em 2016, por exemplo, foram mais de 13 milhões de dispositivos nas mesmas condições, somente no Brasil. A decisão foi tomada pelo conselho administrativo, mas ainda não foi publicada, segundo o Teletime.

Sobre Uanderson Conceição

Chief executive officer (CEO) na empresa Meu-Smartphone. Youtuber, adora praticar Downhill Mountain Bike, entusiasta da natureza e acredita soberanamente em Deus.