Xiaomi Mi A3 chega oficialmente no Brasil e esse será o seu preço

Há pelo menos um mês lojas intermediárias começaram a comercializar o novo Xiaomi Mi A3 no Brasil, essas lojas que em sua maioria oferecem apenas três meses de garantia da venda – resultando em produtos mais baratos. Contudo, a chinesa irá trazê-lo oficialmente para o Brasil neste domingo incluindo o seu custo Brasil, claro.

A linha Mi A da chinesa se destaca por oferecer smartphones sem as modificações aplicadas pela MIUI – optando pelo Android One fornecido diretamente do Google. Assim, a terceira geração será disponibilizada no próximo dia 8 de setembro na única loja física da Xiaomi no Brasil.

Apenas no primeiro dia da sua disponibilidade será possível adquirir o smartphone com um custo promocional de R$ 1.499,00 com um ano de garantia da fábrica, porém nos dias seguintes o dispositivo volta a seu preço normal: R$ 2.299,00 – o que torna essa notícia não tão interessante assim.

O novo celular da Xiaomi está disponível em três opções de cores: cinza, azul  e o branco.

Prós

  • Design interessante e diferente com uma tela que ocupa quase toda a frontal.
  • Cor grande e tela AMOLED de preto profunda.
  • Leitor de impressão digital integrado na tela em si que funciona de forma confiável.
  • Opções de 64 ou 128 GB de armazenamento UFS 2.1 com a possibilidade de expandir via cartão micro-SD.
  • Atualizações rápidas graças ao Android One.
  • Câmara traseira tripla versátil (grande angular, ultra grande angular e profundidade) com bom desempenho em condições de boa iluminação.
  • Câmera frontal com boa nitidez e modo retrato, embora um intervalo dinâmico um pouco limitado.
  • Câmera com aprimoramento em condições de baixa luminosidade.
  • Boa autonomia graças a uma bateria de 4.030 mAh. (Adaptador da caixa é de 10W).
  • Capacidade Dual SIM.
  • Fone de ouvido de 3,5 mm e rádio FM.
  • Resistência ao respingo d’água.

Contras

  • Dsiplay de resolução apenas HD +, brilho máximo limitado.
  • Ausência de recursos da MIUI como o toque duplo para acender a tela.
  • Desempenho que não significa uma melhoria em relação ao Snapdragon 660 do Xiaomi Mi A2.
  • Ausência de estabilização ótica em todas as lentes das câmeras.
  • Sem NFC

Fonte

Sobre Uanderson Conceição

Chief executive officer (CEO) na empresa Meu-Smartphone. Youtuber, adora praticar Downhill Mountain Bike, entusiasta da natureza e acredita soberanamente em Deus.